sábado, 29 de setembro de 2007

DUVIDO QUE OLHE EM MEUS OLHOS



Duvido que olhes
nos meus olhos
opacos de tua ausência.
Duvido que ouças
minhas palavras
ditas ao acaso.
Duvido que suspires
de saudades quando
minha presença for
somente um sonho.
Duvido que sintas
em meu beijo
a amargura de minha vida
e em meu corpo
a rudeza de meus dias.
Duvido que esperes que eu volte;
duvido que minha ausência
seja o motivo da lágrima
e que minha demora
provoque a tua ansiedade.

Porque incrédulo, abandono o tédio
longe de minha princesa no castelo.



(sem data, mas de 2003)

Pesquisar este blog