quarta-feira, 21 de agosto de 2013

CADA UM COM SEU PLAYMOBILL

Com o avanço das redes sociais e blogues, as opiniões de honorosos anônimos - como a dos próprios articulistas deste humilde blogue - passaram a ganhar uma força que antes só era possível aos meios de comunicação tradicionais.

O avanço da internet e a inclusão social, dentre outros tantos fatores incidentes, estão a mudar a expressão midiática no Brasil. Percebemos que não só os tradicionais meios de comunicação dão voz aos pensamentos soltos por aí - e mais, que não é pelo fato de que alguém é jornalista ou celebridade que sua opinião vai valer mais que a de qualquer um.

Claro que isso gera o efeito contrário: opiniões absurdas que não teriam nenhuma repercussão sem as ferramentas modernas - assim como algumas muitas pataquadas emitidas pela imprensa. E o que não era para tremer um cascalho produz efeito de terremoto.

Pior ainda quando alguém sai do seu nicho para se inserir no alheio. Não que espaços tenham donos ou contenham especialistas no assunto - e é o que se faz parecer - mas existe algo chamado senso de espaço que é necessário às pessoas para contextualizar suas opiniões.

Tudo isso para falar da repercussão da declaração (absurda) do Marcos Milhem, da Rede Globo (leia-se Zorra Total). Tirante a parte que ele defende o banimento do técnico do futebol, tudo o mais que ele disse é, de fato, verdade. Dunga é um grosso, e não faz nenhuma questão de escondê-lo!

Só que a repercussão não se deu em torno da grossura do técnico colorado - isso é "cultura pop". Mas sim pela descabida ideia de alguém que não é do circuito do futebol na mídia - seu nicho é o, digamos assim, humor) de banir o cara do esporte! Não se diz isso - não por tão pouco.

De fato que Dunga merece um "para-te quieto". Já está demais, desde a Copa do Mundo, isto é, desde que ele se inventou como técnico de futebol. Mas não é com medidas extremas. Fosse por isso, outros tantos que o sucederamu mereceriam o mesmo destino.

Dunga está certo na sua resposta, ferina: cada palhaço no seu picadeiro. Uma clara dica ao Milhem que não fale o que não sabe ou, ao menos, o que não deve.

O gol contra foi do Milhem. Dunga só deu o cartão amarelo, muito embora as mídias que cada um usou não se comparam: nesse sentido, a repercussão em favor do Milhem é de goleada. Mas, por bom senso, estamos com Dunga.

Pesquisar este blog