sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O Turista Acidental - I

Salvador, BA - Chegamos a Salvador na madrugada de terça para quarta-feira (de 22 para 23 de novembro), provindos de um vôo saído de Porto Alegre com conexão em Brasília.

A primeira surpresa ficou por conta da distância do aeroporto para a cidade, como sói acontecer modernamente: a corrida de táxi, paga no saguão do aeroporto, ficou em R$ 107,00 (31 km, segundo o motorista).

O taxista, sergipano de nascimento mas há quarenta na Bahia, torcedor do Vitória, fez todo o trajeto explicando os principais pontos por onde passávamos: para que lado era o Barradão, onde ficava o Pituaçu, a boemia no Rio Vermelho, o que era Cidade Baixa e Cidade Alta.

Chegamos no hotel já mais de duas da manhã e - felizmente - nossa reserva estava lá nos esperando. Sou um pouco desconfiado com essas coisas feitas pela internet que, apesar de terem me mandado e-mail um mês atrás dizendo que estava tudo confirmado, convém desconfiar. Confiar desconfiando, como diria meu sogro.

Dormimos o sono dos justos e acordamos para o café da manhã. O hotel (Grande Hotel da Barra), apesar da tradição, é bem mais ou menos. Como aliás inclusive o Othon, muito mais suntuoso, onde está se realizando o Congresso que motivou a vinda da Raquel para cá: suntuoso na entrada, simplérrimo no restante.

Quer hotel realmente cinco estrelas: paga-se muito caro. Esse aqui se diz quatro, custo a acreditar!

Bem, na quarta-feira realizamos um passeio livre, ao sabor das circunstâncias: passeamos ao longo da praia da Barra e almoçamos uma deliciosa mariscada no restaurante Barravento.

À tarde, pegamos um ônibus para o centro da cidade e fomos conhecer o Pelourinho, Elevador Lacerda, Mercado Modelo: incrível como os vendedores ambulantes e guias de turismo são pegajosos. Tive que pagar para me livrar de um!

O Pelourinho nos impressionou pela quantidade de igrejas: lindas, mas mal conservadas. Na Europa paga-se para entrar em santuários e castelos justamente para isso - manter a cultura local. Aqui, a coisa ainda engatinha.

Encerramos a noite comendo uma boa pizza num bar ao lado do hotel. Depois de se gastar (muito) dinheiro durante o dia, era preciso dar uma economizada.

2 comentários:

** L. ** disse...

Que milagre o senhor por aqui! Nada coma uma bela viagem para a inspiração... lindas as fotos! Aproveitem bastante! =)

blog da Paraguassu disse...

Olá pessoal,
Como estão lindos os dois turistas porto-alegrenses no passeio à Bahia.
Gostei, Rodrigo, porque levaste o símbolo de nosso tricolor imortal até lá(camiseta). Deu para perceber que lá, o custo de vida é mais alto que aqui no portinho, haja vista o custo do táxi até o hotel. Ainda bem que, entre mortos e feridos, todos se salvaram.
As fotos estão muito bonitas.
Um beijo aos dois turistas,
Tasso e Maria.

Pesquisar este blog