sábado, 19 de junho de 2010

A Copa do Mundo e o patriotismo

O tema é recorrente. Em tempos de Copa do Mundo, o patriotismo vira sentimento de exacerbação e obrigatoriedade pelas ruas do país. A ínfima resistência detectada (na qual me encontro) é duramente criticada, com a pergunta falaciosa: "não és brasileiro?".

Sou brasileiro, filho de brasileiros e neto de metade brasileiros e metade ucranianos. Daí pra cima a mistusta fica maior ainda. Mas nasci em Pindorama, vivo aqui, falo português, gasto em reais, gosto daqui. Sou obrigado a torcer pela seleção brasileira de futebol profissional masculino? Não sei.

Quando invocam o patriotismo, então, a discussão se torna mais profunda. É com espanto que as pessoas constatam que não torço pelo selecionado de Dunga (e não só de Dunga, é uma convicção confirmada pelos últimos 25 anos)! Mas ora, bolas, e o patriotismo?, é o que me indagam.

Vejo carros com bandeirinhas do Brasil desfilando na rua. São patriotas. Passam no sinal vermelho, avançam sobre os pedestres na faixa de segurança, falam ao celular, não usam o cinto de segurança, trocam de pista sem dar sinal, andam na Freeway a 140 Km/h. Ou seja, são patriotas, mas não respeitam a lei do país!

Não aguentam mais os políticos corruptos, por isso nem votam mais: ou anulam seu direito de escolha ou justificam que estavam em trânsito. Procuram dar um jeitinho pra conseguir o documento aquele, aproveitando que tem um tio que trabalha na repartição. Furam filas, não observam a preferência a idosos, portadores de deficiência física, gestantes ou pessoas com crianças no colo. Sim, são patriotas, mas não respeitam a lei do país e adeptos do "jeitinho brasileiro": quer coisa mais patriota que isso?

Criticam a miséria no país mas nada fazem para ajudar uma ONG (séria). Não dooam cestas básicas. Não fazem ações sociais, não dão roupas na campanha do agasalho, não cuidam do meio-ambiente. Evidente, são patriotas, mas não preservam seus próprios direitos difusos!

É um patriotismo do futebol, evidente. Por isso que nem mais respondo. Ser patriota assim é muito fácil. Ô, se é!

---

Em tempo: MUITAS pessoas fazem tudo isso que eu citei, dentre outras coisas mais. Só que, apesar de MUITAS, ainda são POUCAS num universo de 200 milhões. Ainda são exceção. De forma geral, e toda generalização é perigosa, a coisa acontece assim! Patriota, mas usando a calçada do posto pra burlar o sinal de trânsito!

Um comentário:

blog da Paraguassu disse...

Concordamos plenamente contigo. E mais, passam para sua prole todos esses "exemplos" de patriotismo. Depois, choram o leite derramado quando vêm seus filhos apelarem para a ignorância e praticarem atos de vandalismo e desrespeito, como citastes.
Bjs, Tasso e Maria.

Pesquisar este blog