quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Existe vida inteligente em outros planetas?

A pergunta enseja uma série de ilações.

A primeira, faz lembrar uma tira das "Cobras no Espaço", do LFV. A nave ofídea desce em desconhecido planeta. De lá, as vozes: "Chegamos aqui para pesquisar se há vida... noturna". E a outra cobra: "Oba!"

A segunda foi a genial participação de um ouvinte no programa Polêmica, do Lauro Quadros: "E quem disse que na Terra há vida inteligente?", uma vez que a provocação era saber se havia inteligência além de nosso planeta. De fato, dá o que pensar!

Se existe vida inteligente ou noturna em outros mundos, eu não sei. Penso,num rasgo de genial obviedade, que seja possível que sim. Pronto, assim não me comprometo. Vai que afirmo com toda a segurança que há e um agente do Governo Norte-Americano me detém para averiguações:"You know much", ou algo que o valha!

Se fizerem um filme dessa cena, quer que o agente seja o Laurence Fishburne, e meu papel pode ser vivido por Matthew Perry (o Chandler, de Friends, meu alter-ego). Ah, dirigido pelo Martin Scorcese, e quero fazer par romântico com a Catherine Zeta-Jones. O quê? Sim, com cenas de sexo, óbvio. Se ela topar pornô, faço o sacrifício de denigrir a minha imagem!

Por falar em vida inteligente, ou a falta dela, Paulo Sant'anna acerta ao dizer que o tal "impixe" como existe, é só para espetáculo. Pois, se o governante alvo do processo tem maioria no Congresso, se livra solto. Caso contrário, é "impixado".

E por falar em vida noturna, o "Trio Ternura" voltou a se encontrar, claro que tinha que ser no Ritrovo. Foi na noite de sábado, 17/10, e pelo menos da minha parte foi ao acaso.


Celular que tira retrato à mão, ficou o registro: Marcelo, Fabi Milde e eu. Os moderadores da conceitual "Eu Fecho o Bar". Eles fecharam a pista do Dhomba, na Lima e Silva, eu voltei pra casa com Raquel pois acordaríamos cedo no domingo (sim, eu sou de outro mundo, gosto de acordar cedo no domingo!).

Espero mesmo que as promessas de reencontros não fiquem na conta da música "Sinal Fechado":

– Olá! Como vai?

– Eu vou indo. E você, tudo bem?
– Tudo bem! Eu vou indo, correndo pegar meu lugar no futuro...
E você?
– Tudo bem! Eu vou indo, em busca de um sono tranqüilo...
Quem sabe?
– Quanto tempo!
– Pois é, quanto tempo!
– Me perdoe a pressa - é a alma dos nossos negócios!
– Qual, não tem de quê! Eu também só ando a cem!
– Quando é que você telefona? Precisamos nos ver por aí!
– Pra semana, prometo, talvez nos vejamos...Quem sabe?
– Quanto tempo!
– Pois é...quanto tempo!
– Tanta coisa que eu tinha a dizer, mas eu sumi na poeira das
ruas...
– Eu também tenho algo a dizer, mas me foge à lembrança!
– Por favor, telefone - Eu preciso beber alguma coisa,
rapidamente...
– Pra semana...
– O sinal...
– Eu procuro você...
– Vai abrir, vai abrir...
– Eu prometo, não esqueço, não esqueço...
– Por favor, não esqueça, não esqueça...
– Adeus!
– Adeus!
– Adeus!

... com a perfeição de Chico Buarque, e a musicalidade de Paulinho da Viola!

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog