quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Retorno

De volta, após fim-de-semana, feriado, terça-feira de volta ao trabalho, coisas para pôr em ordem, aquele negócio todo. E no mais, parece que o descanso prolongado esvaziou a mente de coisas pródigas, realmente ontem eu não tinha nada de edificante para escrever, preferi calar.

No entanto, não posso decepcionar meus leitores - são dois, por isso o plural. E como a idéia aqui é, acima de tudo, exercitar a escrita diária, vamos aos fatos, verídicos ou não.

Politicamente falando...

Segue o imbróglio sobre a governadora e seus asseclas. E sobrevêm recursos e mais recursos, dentro do princípio do amplo contraditório, o que sou sempre favorável desde que respeitado o devido processo legal - o que nem sempre é observado, como já pude perceber nesses quatorze anos de advocacia.

Hoje, ao que se noticia, julga-se um recurso de agravo de instrumento interposto pela governadora contra a decisão da juíza de primeiro grau que negou sua exclusão da ação de improbidade. Ou seja, discute-se aspectos formais que não atingem o direito material - o chamado mérito da questão. Ignoro o posicionamento que terá o TRF sobre a questão mas, qualquer que seja, será objeto de recurso próprio, ao STJ ou STF, de acordo com a matéria a ser discutida.

O Zé Povão não entende nada nisso e não porque é burro: é porque não quer mesmo entender. Guia-se pelo binômino culpa/inocência, e é o que o jogo político empurra para lá ou para cá. Usa-se as decisões jurídicas politicamente, e quanto mais retardado esse julgamento, mais aparência de "inocência" se dá aos acusados.

Afinal, e ainda, todos são inocentes até o julgamento final! Que no caso político, não termina nunca!

A bola rola

Hoje pouco importa Brasil x Venezuela. Sequer sei onde é o jogo! Até porque desde 1985 não sei o que é torcer para a seleção. O foco dos que gostam de futebol, e estou dentre estes, estará em Montevidéo, no embate entre Uruguai e Argentina.

O time de Maradona joga pelo empate, o cisplatino precisa da vitória. O Equador, por fora, necessita da vitória no Chile contra a seleção local já garantida na África do Sul. Se vencer, depende do resultado do jogo no Uruguai para saber se entra na vaga direta pra Copa ou vai para a repescagem.

Eu tô apostando na vitória da Argentina e no empate do Equador, o que leva o Uruguai (mais uma vez mais) para a disputa na repescagem. E garante o time de Maradona na Copa. Será que garante o Maradona?

Nenhum comentário:

Pesquisar este blog